Territórios do Axé

Mapeamento das religiões africanas na Grande Florianópolis – SC

gerais 2 060

O projeto Territórios do Axé está sendo desenvolvido no NUER- Núcleo de Estudos de Identidades e Relações Interétnicas, sediado no Centro de Filosofia e Ciências Humanas da UFSC. A proposta ora em desenvolvimento foi aprovada pelo Instituto de Patrimônio Histórico e Artístico Nacional- IPHAN e pela Universidade Federal de Santa Catarina-UFSC, mediante Acordo de Cooperação Técnica com duração de 12 meses.

Este projeto está sendo coordenado pela Dra. Ilka Boaventura Leite, professora do Departamento de Antropologia da UFSC e coordenadora do NUER e está sendo administrado pela FAPEU- Fundação de Pesquisa e Extensão Universitária, instituição registrada e credenciada no Ministério da Educação e do Desporto e no Ministério da Ciência e Tecnologia como fundação de apoio da UFSC pela portaria conjunta nº 31 MEC/MCT, de 13 de março de 2012, nos termos da Lei Federal nº 8.958/94, regulamentada pelo Decreto nº 7423/2010.

O Plano aprovado visa obter um panorama das religiões de matriz africana da Grande Florianópolis, a partir dos seus próprios interlocutores, buscando perceber suas principais características sócio-históricas, linhas de ação e conformações territoriais. Este panorama será apresentado em forma de um mapeamento contendo informações quantitativas e qualitativas que possa fornecer um diagnóstico preliminar sobre a diversidade das religiões e municiar os praticantes e as instituições públicas em suas iniciativas de valorização, proteção e garantia de autonomia e liberdade de culto, segundo a Constituição Federal de 1988.

A equipe contará com profissionais de diversas áreas e campos disciplinares tais como a história, a antropologia, a geografia, a sociologia e a linguística, buscando uma interlocução com os saberes constituídos nas casas de culto e através dos mestres e praticantes, buscando registrar a memória e a história, as diversidades de crenças e práticas, a construção do espaço social, do grupo, e das práticas comunitárias, as formas de transmissão de saberes entre gerações e os falares africanos trazidos pelos seus fundadores. O projeto não visa apreender e nem discutir os fundamentos religiosos das religiões africanas, mas, sim, busca valorizar a cultura religiosa aí consolidada, para compreender, respeitar, preservar e manter sua presença, riqueza e criatividade na sociedade catarinense.

 

Objetivos:

Geral:

Através de pesquisa interdisciplinar, realizar um panorama sobre a territorialidade física e simbólica das casas religiosas de matriz africana da Grande Florianópolis, suas designações e patrimônios materiais e imateriais.

Específicos:

 -Descrever a localização geográfica das casas religiosas de matriz africana e seus espaços de entorno.

-Identificar o perfil dos participantes, considerando-se os aspectos demográficos e sócio-econômicos.

-Registrar a memória existente sobre as fundações das casas e sua história.

-Descrever os processos de formação das casas quanto à sua territorialidade, seus usos, rituais e calendários.

-Registrar as ações e programas de participação e apoio social desenvolvidos pelas casas, bem como as sugestões e demandas em políticas públicas.

 

Cartaz            Cartaz segundo seminario 2

III Seminário Religiosidades Afro-brasileiras

 
Contato    Apoio: CNPq / CAPES