Missões Docentes

As Missões de Trabalho visam estabelecer contatos, propor e consolidar parcerias, planejar ações, programas de ensino e pesquisa,  fortalecer as cooperações científicas entre docentes e aperfeiçoar os métodos de desenvolvimento científico e tecnológico entre as universidades.

Missões de Trabalho realizadas pelo Projeto Kadila 2012-2015

2012 – Primeira Missão: organizada pela Sinter- Secretaria de Assuntos Internacionais da UFSC à UAN

foto1
Campus da Universidade Agostinho Neto 2012 (Foto: Acervo NUER)

A Secretaria de Assuntos Internacionais da UFSC -Sinter organizou uma visita a Angola para consolidar os canais de comunicação necessários entre as duas universidades, aberto pela Fitogenética e a Antropologia da UFSC. A profa. Ilka Boaventura Leite, proponente e coordenadora do projeto Kadila, já inscrito no Edital CAPES, participou da Missão organizada pela UFSC, onde apresentou o Projeto para a administração da Universidade Agostinho Neto, representada pelo Pró-Reitor de Assuntos Internacionais Prof. Dr. Agatângelo J. dos Santos Eduardo, Reitor em exercício e participou de atividades do Centro de Estudos do Deserto, coordenadas por Samuel Rodrigues Aço.

A equipe da UFSC, composta pelos professores André Ramos, Rubens Nodari e Juarez Nascimento participaram de diversas atividades, dentre elas a visita ao Museu de Antropologia e o Consulado do Brasil.

2
Museu de Antropologia de Luanda, 2013

 

Viagem a Tombwa, Njambassana e Mbwhú
1-Reunião com a administração e os professores do Tombwa

3
Prof. Samuel e administrador João Guerra e vice administradora Luzia Benvinda, do Tombwa,
4
Reunião com professores do Tombwa

Apresentação do Projeto Kadila e as novas perspectivas abertas nesta nova fase de cooperação técnica entre o NUER e o CE.DO. Em seguida, apresentei o professor André Ramos, que falou como representante da UFSC e da Sinter, respondendo as dúvidas dos professores sobre as modalidades de ingresso, suporte e apoio para a realização do intercambio internacional desenvolvidas pela UFSC na atualidade sobre o Programas PEC-PG, entre outros.

2 – Visita a Njambassana

5
Njambasana, 2012 (Foto: Ilka B. Leite)

Njambasana dista cerca de 80 Km de Tombwa e é uma aldeia onde está a sede do Centro de Estudos do Deserto. É também o nome da lagoa e do rio que abastece a região e em torno da qual vivem algumas famílias de criadores de gado e pastores da região em casas de pau a pique. Lá está localizada a escola, algumas lojas, um posto da administração e enfermagem e o centro de hospedagem e a sede do Ce.Do. A região pode ser descrita como um vale de montanhas arenosas em cujo centro está a lagoa que favorece a existencia temporária de um oásis, possibilitando a fixação de casas, e nas proximidades, os sambos (locais de acolhimento de rebanhos e pessoas no deserto por curto espaço de tempo) e as ongandas (circulos de ramos de espinheiras no deserto habitados por uma ou mais familias e seus pertences).

6
Casas e moradores de Njambasana (Foto: Margarida Paredes, 2010)
7
Lagoa de Njambasana (Acervo do Ce.Do)

3- Visita ao Centro de Estudos do Deserto

8

Visita ao Centro de Estudos do Deserto –CE.DO e ao Centro de Artes e Ofícios, fundado em 25 de Maio de 2007 através da iniciativa do professor Samuel Rodrigues Aço com a participação de docentes e de 30 estudantes da Licenciatura em Antropologia da UAN em 5 missões de investigação antropológica na área;

Visita às novas construções com hospedarias e oficinas de fabricação de adobe para construção de casas.

9
Oficina de produção de adobes para construção de casas, Njambasana, 2013 (Acervo do NUER)

4 – Encontro com os Pastores no Mbwhú

10
O encontro com os pastores e o Soba – Mbwhú, 2013 (Acervo NUER)

-O Curoka e o Mbwhú

O Curoka (também escrito com K) é o termo usado par nominar o rio, as pessoas e recobre também uma extensa região de pastagens no Deserto, ponto de passagem descrita pelos viajantes que buscam o Parque do Iona, reserva nacional. No Curoca, há cerca de 70 km de Njambasana está um espécie de vale onde se avista de longe o Mbwbú ( também se diz e escreve Umbú), enorme montanha de pedra que se destaca e demarca um ponto especial na paisagem da região.

11
Mbwhú, espécie de montanha sagrada (Foto: Ilka B. Leite)

 – O Posto de Paragem do Mbwhú

12
Encontro no Mbwhú- fevereiro de 2012 (Foto: Ilka B. Leite)

 

O encontro com os pastores foi o momento mais emocionante da viagem, principalmente porque a proximidade já existia entre nós, através do acompanhamento da pesquisa de campo e a orientação da dissertação da antropóloga Milena Argenta. Pude “rever” a todos, sentir o calor humano dos olhares e da intenção explícita em nos receber e acolher. Com eles passamos todo o dia, no posto construído pelo Ce. Do, neste lugar mágico chamado MBWHÚ, para onde eles convergem em situações críticas como naquele período em que as chuvas ainda nem se anunciavam e a falta d’água e de pasto já era tão visível. Almoçamos um delicioso guisado feito lá mesmo com carne e sangue de cabra, especialmente para a ocasião e experimentamos a aguardente de banana.

Entreguei ao soba Antônio Mbeiapé uma cópia da dissertação da Milena, num gesto de agradecimento e reconhecimento pelas informações e colaborações do grupo para a realização do trabalho, a primeira pesquisa de campo realizada em África pela Antropologia da UFSC . Entreguei também alguns presentes ao soba e para algumas pessoas que colaboraram mais diretamente na pesquisa, como a Ana Paula e seus familiares. Fui presenteada também pelo soba, com um belo recipiente feito de madeira por ele mesmo, usado para a ordenha e para o coalho do leite, alimento importante dos habitantes da região.”(Depoimento de Ilka Boaventura Leite)

 

Encontro com as mulheres no Mbwhú, 2012 (Acervo do NUER)
Encontro com as mulheres no Mbwhú, 2012 (Acervo do NUER)

 

***

 

Missão de Trabalho da UAN à UFMG – Belo Horizonte, outubro de 2013

Reunião do Projeto kadila em Belo Horizonte, com as profas. Amélia Arlete Rodrigues Mingas, decana da Faculdade de Letras e Linguística da UAN, a profa. Ilka Boaventura Leite, coordenadora do Projeto Kadila e a profa. Sonia Queiroz da área de Letras, UFMG.

Pauta:

– Cronograma das próximas missões de estudos e trabalho da UFSC a Angola.
– Elaboração de minuta do Termo Aditivo e renovação do convênio geral entre a UFSC e a UAN.
-Planejamento de pesquisas e formação docente no âmbito do Projeto Kadila.

14
Profas. Amélia e Ilka em Belo Horizonte no Centro Cultural da UFMG, outubro de 2013.

 

***

Missão de Trabalho à UAN – Luanda, março de 2014

missoes-foto10
Professores do Projeto Kadila da UFSC em visita à Faculdade de Letras e Linguistica da UAN, março de 2014 (Acervo do NUER)

Reunião com a equipe da UFSC composta pelos professores Marcos Montysuma, Cristine Gorski Severo, Ilka Boaventura Leite e os professores da UAN, o Decano Dr. Petelo, Daniel Sassuco, prof. Samuel Aço e demais membros da Faculdade.

Dra. Aurora Fonseca
Dra. Aurora Fonseca, historiadora e uma das diretoras do ISCED
Prof. Marcos Montysuma com estudantes do ICED
Prof. Marcos Montysuma com estudantes do ICED (Foto Ilka B. Leite)

 

 

 

 

 

 

 

Resultados diretos da Missão de Trabalho de 2014:

-Renovação do convênio entre a UFSC e ISCED

-Renovação do Convênio entre a UAN e a UFSC

 

***

 

Missão da UFSC à UAN – Luanda, março de 2015-04-23

15-16
Missão da UFSC se reúne com professores da UAN. (Acervo NUER)

Participantes: Leticia Cesarino (Antropologia, UFSC) e Silvio Correa (História, UFSC).

Pauta de atividades e participantes:

-Reunião na Faculdade de Letras e Linguística da UAN, com a decana profa. Amélia Mingas, o vice decano Petelo e demais professores da Faculdade: Mavungo Chicuna, Daniel Peres Sassuco e Manuel Domingos José, entre outros. Participaram tambémdesta reunião os pesquisadores do Ce.Do: Teresa Aço e Abel Pedro.
-Reunião na Faculdade de Ciências Sociais, com o decano Victor Kajibanga, a vice decana Luzia Milagres e os professores Mateus kamba Cavula e Virgílio Coelho.

Pauta:

– Ampliação da rede de pesquisadores/colaboradores do Projeto Kadila
– Avaliação do cronograma de atividades e planejamento previsto para o período restante do Projeto em 2015.
– Dificuldades encontradas no intercambio docente e discente – melhor operacionalidade das missões.

 

***

 

 

Missão de Trabalho do Projeto Kadila da UAN à UFSC – março de 2015

20
Reunião com pesquisadores participantes do Projeto Kadila da UFSC e UAN

Participantes:

Profs. Amélia Mingas e Manuel Domingos José da UAN e os profs. Ilka Boaventura Leite, Cristine Gorski Severo, Nazareno José de Campos, Leticia Cesarino, Silvio Correa e Simone Schmidt da UFSC e profa. Sonia Queiroz da UFMG.

Pauta:
Intercambio de docentes e discentes das duas universidades
Planejamento de Atividades do kadila no ano de 2015 e 2016
Pesquisas e publicações a serem feitas em regime de cooperação
Questões administrativas dos convênios e protocolos entre as duas universidades.

 

 

***

 

Missão da Faculdade de Ciências Sociais da UAN à UFSC março de 2015

Participantes da UAN: Luzia Milagres (vice decana) e José Nkosi (chefe do departamento de Psicologia)

Participantes da UFSC: Ilka Boaventura Leite, Oscar Calávia (Chefe do Departamento de Antropologia), Cristine Gorski Sever (Lingüística), Nazareno José Campos (Geociências), Leticia Cesarino (Departamento de Antropologia), Amurabi Oliveira (Departamento de Sociologia).

-Reunião no NUER com pesquisadores do Projeto kadila:

Pauta:

-Situação dos estudantes intercambistas que se encontram na UFSC pelo Projeto Kadila até julho.
-Participação da Faculdade de Ciências Sociais no Projeto Kadila
-Proposta de Termo Aditivo específico com o CFH
-Reunião com o diretor do Centro de Ciências Humanas prof. Paulo Pinheiro Machado para discutir o Termo Aditivo proposto.
-Reunião com a Reitora por ocasião da assinatura do convenio INCRA-UFSC que prevê a colaboração do NUER nos relatórios técnicos sobre comunidades quilombolas em Santa Catarina.
-Reunião com o diretor adjunto da Secretaria de Assuntos Internacionais da UFSC prof. Aguinaldo para tratar do Termo Aditivo a ser assinado pelos dois diretores das faculdades e que deverá integrar o termo do Convênio Geral entre as duas universidades UFSC e UAN.

17
Reunião dos professores da UAN com a coordenadora do Projeto Kadila, março de 2015 no NUER
18
Visitas dos profs. Angolanos e participação à Reitora da UFSC por ocasião da assinatura do convenio com o Incra
19
Reunião da Missão com o Secretário prof. Aguinaldo da Sinter

 

MISSÃO DE TRABALHO BRASIL –ANGOLA

Realizada  Angola em 04/09/2017 a 08/09/2017

Durante  os 4 dias da Missão de trabalho realizado pela coordenadora do Projeto Kadila, a profa. Ilka Boaventura Leite foram realizadas as seguintes atividades:1-Três reuniões de trabalho com a coordenadora do convênio na UAN, profa. Amélia Mingas, da Faculdade de Letras. 2- Reunião de trabalho com o prof. José Kalunsienko Nkosi, da Faculdade de Ciências Sociais, co-orientador na UAN de Yersia Souza de Assis, doutoranda do PPGAS/UFSC; 3-Reuniões de orientação com a doutoranda Yérsia Souza de Assis, que encontra-se em doutorado sanduíche com bolsa de estudos do Projeto Kadila em Luanda. Ela permaneceu até 30/11 em Luanda em pesquisa para sua tese. 4-Reunião com o professor e vice-diretor do Instituto Superior Politécnico do Huambo Marino Leopoldo Sungo; 5-Reunião com a atual diretora do Centro de Estudos do Deserto, Maria Teresa Aço, sobre o Observatório da Transumância.; 6-Reuniões com os professores da UAN, Nsimba Jose e Daniel Perez Sassuco, integrantes e colaboradores do Projeto kadila na UAN/ Angola; 6-Visita, acompanhada da doutoranda Yérsia Assis e Teresa Aço ao Museu da Escravatura, um dos locais onde estamos realizando pesquisa; 7-Participação e apresentação da sessão pública de lançamento do livro “kadila: Culturas e Ambientes – diálogos Brasil Angola em sua versão impressa. Nesta sessão estiveram os autores do livro, o diretor e a vice-diretora da Faculdade de Letras, além da coordenadora do Kadila em Angola, a linguista Dra. Amélia Mingas. O evento contou com um público formado por estudantes e professores da Universidade Agostinho Neto.


2-Angola, capital de Luanda

Angola, capital de Luanda.

2-reunião das coordenadoras do Projeto UFSC e UAN
Reunião das coordenadoras do Projeto UFSC e UAN


3-Museu da Escravatura
Museu da Escravatura.
3-visita ao Museu da Escravatura
Visita ao Museu da Escravatura.

3-Yersia Souza, Teresa Aço e Ilka Boaventura em visita ao Museu da Escravatura
Yersia Souza, Teresa Aço e Ilka Boaventura em visita ao Museu da Escravatura.

Missão do Instituto Superior Politécnico Independente – ISPI

No mês de junho visitaram a UFSC a equipe do ISPI composta pelas professoras Solange Luis, profa. de Literatura, Mariana Teixeira, profa. de Sociologia e a profa. Renata Pinda, profa. de Direito, integrando a missão científica docente do Instituto Superior Independente de Lubango, Huíla, que fica na Região Sudoeste de Angola. As profas. Visitaram a UFSC com o propósito de estreitar laços com os professores da Humanidades e Educação. Nos dias 11 e 12 aconteceram reuniões com os professores dessa área e com a coordenação do Programa de Pós-Graduação em Educação.

Também foi realizada uma reunião com a SINTER/UFSC para analisar a viabilidade de formalização de um Acordo de Cooperação Técnica entre o ISPI e a UFSC.

Esta Missão se estendeu ao Programa de Pós-Graduação Interdisciplinar em Ciências Humanas do Centro de Filosofia e Ciências Humanas da UFSC onde se discutiu sobre a recém criada área de concentração do curso em “África e suas Diásporas”.

Todas essas iniciativas fortalecem o Projeto Kadila  e seus desdobramentos nos próximos anos, seja com a intensificação de pesquisas no Namibe, seja na formação universitária e na docência.

 
Contato    Apoio: CNPq / CAPES