Kadila: culturas e ambientes

 

kadila-foto1

 

O Projeto “Kadila: culturas e ambientes – diálogos Brasil Angola”  faz parte do programa CAPES AULP do Ministério da Cultura do Brasil.

Está voltado para a formação universitária através da Mobilidade Internacional de docentes e discentes de universidades brasileiras e angolanas. Está sediado no NUER- UFSC e tem apoio da Faculdade de Letras e Linguistica da UAN.  Suas atividades de pesquisas atuam em parceria com o Centro de Estudos do Deserto e o Observatório da Transumância, criado pelo antropólogo Samuel Rodrigues Aço.

O projeto kadila concebe a transumância como um fenômeno social e busca um entendimento sobre a multiplicidade de fluxos que integram a experiência migratória, a vida produtiva e comunal no Deserto do Namibe, em termos antropológicos, históricos, geográficos, linguísticos, literários, entre outros – buscando os diálogos inter e multidisciplinares para fundar novas questões nas Ciências Humanas.

O Projeto  é uma iniciativa do Núcleo de Estudos de Identidades e Relações Interétnicas – NUER, sediado no Centro de Ciências Humanas da Universidade Federal de Santa Catarina, Estado de Santa Catarina, Brasil – e está em consonância com as leis 10.636/2003, 11.645/2008 e a Lei de Base do Sistema de Educação (L.B.S.E.), nº 13/01, propiciando novos conteúdos curriculares mais atualizados e condizentes com a realidade atual sobre a História da África e os Estudos Afro-brasileiros.

Nesta etapa o Kadila visa contribuir para a formação e capacitação de docentes entre os Centros e Universidades parceiras, além de aprofundar as pesquisas sobre a mobilidade humana e a valorização de práticas e saberes sobre a itinerância como forma de existência na região Sudoeste de Angola.

kadila-foto3

O Projeto Kadila, portanto, apoia o Observatório da Transumância, projeto desenvolvido pelo professor Samuel Rodrigues Aço, do Departamento de Antropologia da UAN e coordenador do Ce.Do – Centro de Estudos do Deserto, associação civil de caráter científico, não-governamental e sem fins lucrativos, localizada em Namibe, sul de Angola.

 
Contato    Apoio: CNPq / CAPES